domingo, 25 de fevereiro de 2007

...Outrora límpida e iluminada. Como eu,outrora.


Ama-me – dizia-lhe.
Ama-me, porque não suporto toda a poesia que me incha a alma
E já a vomito se me não dou nela
A quem me ama…

Sem comentários: