terça-feira, 8 de maio de 2007

TEATRO - Romeu e Julieta de William Shakespeare


É noite. Romeu está escondido no jardim da casa de Julieta. Ela aparece na varanda do seu quarto e fala, sem saber que ele a ouve.


"Somente o teu nome é meu inimigo; tu és tu próprio; embora não um Montéquio.
O que é um Montéquio? Não é mão, nem pé, nem braço, nem rosto, nem qualquer outra parte pertencente a um homem. Oh! Sê um outro nome.
O que há num nome? Aquilo a que chamamos "rosa", sob qualquer outro nome teria a mesma doce fragrância; de igual modo, Romeu, se Romeu não se chamasse, conservaria a amada perfeição de que é senhor sem aquele título.
Romeu, renuncia ao teu nome; e em lugar do teu nome, que não faz parte de ti, aceita-me toda inteira! "
(Foto: Olivia Hussey, no filme de Franco Zeffirelli)

1 comentário:

bijagós disse...

O que eu adorei este filme! Vi-o para aí uma sete vezes (não é exagero). Tornou-me verdadeira uma das mais belas histórias de amor postas em teatro!