domingo, 24 de junho de 2007

Tanto Curtir à flor da Alma

Assuma-sa o Hedonismo
como Ancoradouro da Alma!
















Num Tardinha entrei nos Laços
Da Alma da tua Gente
E não previ, inocente,
A Amargura permanente
Desta pressão tão pungente
Da falta dos teus Abraços!

6 comentários:

bikini disse...

na foto a personificação do tal edonismo...e sem máscaras.

Amora Branca disse...

Não conhecia o Roberto mas ele era, de certeza, bem divertido e bem disposto!

bikini disse...

estas imagens pediam mesmo aquela música da Cesária Evora "Mar", acho que é assim que se chama.
Vou ver se "meto uma cunha"

sofia disse...

Eles adorava os vossos almoços...

Nicole disse...

Que saudades deste sorriso, e de tudo o que ele trazia...

caxemira disse...

Foi-se o nosso amigo e ficou uma grande saudade, é certo mas...pensar que levou o melhor da vida alivia e ensina-nos a aproveitar cada momento, saravá!
O poema é lindo.