sábado, 27 de janeiro de 2007

Emília Gomes da Costa

Nasceu na Figueira da Foz e viveu em Moçambique durante vinte anos.
É professora, licenciada em Filologia Românica.
Dedica-se à Pintura desde 1998.

O meu universo

...doba-se em paisagens telúricas de outros oceanos e imaginários.
A ponte entre o Aqui da Europa e o Além Africano é o diálogo que vou estabelecendo, relação dialéctica entre um presente e o seu passado.
É o trabalho do quadro em mim, através do olhar do outro, sabendo que assim geramos uma nova concepção do mundo.

É única esta árvore, a ninguém contraria, nem ao jardim civilizado da cidade.






Campos de amarelo encontro no caminho. Fazem todos silenciar a terra. E depois?

Planícies devolutas correm para a água que não há. Desertos e contratempos fazem o estar só.




E a alma? Quero-a, porque tem a cor do dia a dia que passa por aqui






Gosto do ar campestre, dos animais felizes paridos em liberdade errante


E a cidade? Perdeu a voz.

O gesto caligráfico dos rostos


...olhados à luz do dia


...transparentes


...rostos para serem amados por aquilo que são.

E agora... vozes do meu quotidiano






Santos e Demónios


Esgares avulsos corrompem o meu céu.


Santos e demónios do sonho de não existir.


Infernos diabolizados.


Terras distantes de muitas viagens sem retorno.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

Novo disco de Amélia Muge

Amélia, entre canções.

É o regresso aos discos de uma das grandes compositoras da música portuguesa. Amélia Muge edita pouco e para poucos, e por isso o seu mundo sonoro é raro e precioso. "Não sou daqui" está quase aí.

João Miguel Tavares in DN-Caderno 6ª de 26 de Janeiro de 2007

quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Os efeitos do Voodoo na política mundial

Cuidado com as visitas aos museus...

quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Ajudar os outros é ajudarmo-nos



"A existência de problemas face à não existência de todos. Há quem precise de quem não quer ou não sabe existir. A esperança morre.Pedir a quem se quem passa está por baixo do chão? Sem copo, sem esperança. Peço a quem se ninguém me vê?"

Texto,fotografia e edição de Joana Gama Freire

Enviado por Joana Gama Freire

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

O Pescador

O pescador, com uma grande coragem, diga-se de passagem, decidiu salvar este enorme tubarão desprendendo-o com a ajuda do seu barco e devolvendo-o à liberdade. Só que a história não ficou por aqui, agora o tubarão vê o pescador como um "amigo" e segue-o para todo o lado. (comentário de Joana Almeida)




Ao pé de um tubarão, ficas sem um pé, braço ou mão? Não. (ou nem sempre, hehe)
enviado por Pedro

Literatura artística e pintura literária!


«Ninguém pensa senão em mulheres e homens»
(Pintura de Carmo Romão, 1998)



«Ninguém pensa senão em mulheres e homens, a totalidade do dia é um trâmite que se detém num dado momento para permitir pensar neles, o propósito da cessação do trabalho ou do estudo não é senão começar a pensar neles, mesmo quando estamos com eles pensamos neles, pelo menos eu. Os parênteses não são eles, mas as aulas e as investigações, as leituras e os escritos, as conferências e as cerimónias, as ceias e as reuniões, as finanças e as politiquices, a globalidade daquilo que consideramos ser aqui a actividade.»

(in Marías, Javier. Todas as Almas. Quetzal Editores)

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Álvaro de Campos


Álvaro de Campos, pormenor do mural de Almada Negreiros na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1958)


Tabacaria
Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.(...)

Destaques

Na semana de 22 a 28 de Janeiro o M de Mapa fará destaques, dará sugestões, opiniões, falará de interesses e muito mais. Abrimos novamente as nossas fronteiras e convidamo-vos a entrar!

domingo, 21 de janeiro de 2007

I don´t feel like dancin´


Scissor sisters

O título engana..

sexta-feira, 19 de janeiro de 2007

Danças ou ficas sentado?

Afinal de contas, acho que dançámos pouco. Mas talvez seja por ser ainda o princípio da festa. Temos de re-encontrar dentro de nós o entusiasmo da dança da vida. Não é bom olhar o mundo com olhos de hábito. Quero voltar a acordar cada manhã a sentir o espanto de estar viva. A sentir a vida fervilhar nas minhas veias. A sentir-me deslumbrada.

domingo, 14 de janeiro de 2007

Danças ou ficas sentado?


Danço,Sempre! (que tenho as mãos frias)
enviado por Tiago Serpa

Qual o título desta música?

"... on the floor the people dance around
moving close together... the tear drops
would fall and she'd hold me and tell me
she'd be for ever with me... so won't you please..."

sábado, 13 de janeiro de 2007

Aquarela do Brasil

Danças ou ficas sentado ?
DANÇO, CLARO !!!

quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

Danças ou ficas sentado ?


A grande questão da semana atravessou as mais altas esferas do poder que ainda está a reflectir nas grandes opções do plano : Dançam ? Ficam sentados ? Dançam sentados ? Sentam-se a dançar ? A hora é grave, a decisão poderá afectar o rumo de Portugal. A Europa aguarda com expectativa.

terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Danças ou ficas sentado?


fico sentado,estou à espera da música seguinte...

Danças ou ficas sentado?

"Dance Me To The End Of Love"

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We're both of us beneath our love, we're both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I'm gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love





por madeleine peyroux

Danças ou ficas sentado?


De preferência danço!

Danças ou ficas sentado?

Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a dum jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto pra seu grande espanto
Convidou-a pra rodar

E então ela se fez bonita como há muito tempo nãoqueria ousar
O seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça foram para a praça
E começaram a se abraçar


Vinicius de Moraes, "Valsinha"

Danças ou ficas sentado?


Eu danço.


tango,claro!

segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Danças ou ficas sentado?
Tema de 8 a 21 de Janeiro. Enviem os vossos Post's!

domingo, 7 de janeiro de 2007

Luís Inocentes

Chegou ao fim a 1ª semana de existência do blog da MAPA Associação Cultural.
Para todos os que colaboraram e ajudaram a construí-lo e animá-lo, em especial
a Neuza Faustino, a Rita Silva e o Nuno Jacinto, o nosso/meu muito obrigado!
Vamos entrar agora nas duas semanas dedicadas à "Danças ou ficas sentado?".
Que haja muito mais pessoas a dançar que sentadas, são os meus votos!
Votos também de um óptimo 2007 para todos!

Dalai Lama II

Se fosse hoje não comentaria, como fiz, a resposta do Dalai Lama...
Será que ele precisa que eu o alerte para os desafortunados desta vida?
Certamente que não! É obvio que ele se refere ao Homem consumista.
Daqui lhe envio as minhas desculpas.

Luis Inocentes