domingo, 1 de março de 2009

Como começam os livros

Os que piedosamente...
Os que copiosamente...
Os que embandeiram
Os que inauguram
Os que crêem
Os que crêem crer
Os que crucitam
Os que pavoneiam
Os que se aproveitam
Os que sentenciam
Os que atropelam
Os que incham
Os que papagueiam
Os que lambem botas
Os que têm barriga cheia
Os que baixam os olhos
Os que sabem desossar o frango
Os que são carecas por dentro da cabeça
Os que abençoam as tropas
Os que bajulam
Os que incensam os mortos
Os que espetam baionetas
Os que dão canhões aos filhos
Os que dão filhos aos canhões
Os que se mantêm à tona sem nunca ir ao fundo
Os que não tomam o Pireu por um homem
Os que têm asas de gigante que os impedem de voar
Os que em sonhos espetam cacos de garrafa
na grande muralha da China
Os que põem máscara de lobo
quando comem carneiro

"Palavras" de Jacques Prévert

1 comentário:

Al Kantara disse...

grande poema...